Roland Garros 2020 e o Fenômeno Sinner

Mudanças e mais mudanças nesse mundo dos Grand Slams.

Sinceramente o tempo dirá para mim, se gosto do jeito que está ou sentirei falta da tradição.

Ver a quadra central do torneio parisiense coberta e com possibilidades de assistir a jogos noturnos em RG, facilita e muito a organização, mas penso que tira muito o charme do tradicional torneio.

Aquele ar da Philippe Chatrier descoberto e com os jogos acontecendo enquanto a luz solar durasse, não existirá mais.

A característica dos jogos mudará quando a cobertura for acionada, pois a quadra coberta não carece de vento ou sol, e ainda por cima ficará mais rápida, facilitando os jogadores mais agressivos, podendo alterar resultados interessantes.

Na contrapartida, os jogos não atrasarão tanto, inclusive facilitando a logística e horários das finais. Vantagens e desvantagens, o tempo dirá.

O interessante também é a troca de bola que aconteceu, deixando o jogo bem mais lento, facilitando a vida dos jogadores de saibro e as longas trocas de bola.

Mas será que o jogo no saibro, continua sendo mantido com longas trocas de bola?

Penso que poderão acontecer 2 possiveis situações.

Vamos primeiro falar do Mega Campeão de RG, Rafael Nadal:

A característica principal do campeão do saibro, sempre foram as longas trocas de bola, timing fantástico da movimentação no saibro, defesa e contra ataque.

Mas quando vemos Nadal muito pressionado, seus Tospins ficam curtos abrindo janelas para que adversários competentes, ataquem essas bolas curtas. Penso que com essas bolas mais lentas possam acontecer 2 coisas.

Se Rafa conseguir manter seus spins longos terá grande vantagem, pois será difícil atacá-lo.

Por outro lado, se sua bola começar a encurtar, principalmente nos dias de hoje, nos quais alguns jogadores estão super agressivos e conseguem imprimir enorme velocidade aos golpes, podendo machucar muito o espanhol, caso ele se sinta pressionado, será osso para o espanhol.

Acredito que Rafa tem que rever sua estratégia desde o início do torneio, jogando mais fundo, agressivo e também buscando a rede. Na minha opinião, o mind set tem que ser mais agressivo, trocando bolas quando necessário e atacar quando aparecerem oportunidades, olhando para as semifinais e possível final.

Penso que, caso fique muito defensivo no início, grande possibilidade de sucumbir e sair mais cedo do torneio. Outra coisa é que ainda não conseguiu seu ritmo ideal, perdendo em Roma para Schwartzman. A primeira semana será crucial para o espanhol.

Jogadores como Thiem, que conseguem imprimir enorme velocidade, tanto de mais atrás como mais a frente, terão vantagem. Aliás, Thiem é meu favorito nesse ano.

Como Thiem, vários outros jogadores estão despontando com essas características. Mas hoje quero falar da nova estrela que desponta, o famoso pecador, o italiano Jannik Sinner.

Somente 19 anos, 1,88 m de altura, jogo completo, fundo de quadra, forehand, backhand, saque, voleios, excelente mão, tem tudo.

Mas o que me chama a atenção é sua capacidade mental e emocional. Não respeita ninguém e joga fantasticamente bem sob pressão. Seus golpes são super agressivos de ambos os lados e bate na bola sem medo de ser feliz.

Já está beliscando vários jogadores tops, e vencerá cada vez mais.

Da mesma maneira que comentei la atrás que Naomi Osaka faria história no tênis, bem antes de ganhar seu primeiro GS, escrevo aqui que Sinner, o pecador, fará história no tênis e estará brigando pelo primeiro lugar no ranking da ATP.

Vamos acompanhando esse jogador fora da curva e suas conquistas.

Grande abraço, ótimo Grand Slam a todos e até a próxima.

Close
Portal Edu Oncins © Todos os direitos reservados
Close
%d blogueiros gostam disto: