Qual a importância do treinamento de força para atletas jovens?

Muito se pensou equivocadamente no passado da possível interferência negativa do treinamento de força no hormônio do crescimento, nas cartilagens e nos ossos.

Por sorte, a ciência hoje é capaz de contrariar tal pensamento. Aqui vou descrever alguns fatores que suportam a necessidade de um bom treinamento de força para atletas em formação.

Treinamento de força é um termo muito amplo que envolve diferentes métodos, desde uso do peso corporal até pesos livres, o certo é que o método escolhido deve ser analisado e desenvolvido de forma específica para cada jogador, respeitando parâmetros evolutivos, fisiológicos, genéticos, bioenergéticos, funcionais e estruturais de cada atleta.

Especialmente nas idades menores, deve-se estar bastante focado na técnica dos exercícios. Os exercícios não são perigosos, porém, exercícios mal feitos e/ou sem supervisão colocam em risco o bem-estar dos atletas.

Nem tudo de força está relacionado a pesos. E fiquem tranquilos: nem tudo incrementa tanto o volume muscular. Aliás, para isso acontecer é preciso uma combinação de fatores muito grande e que não é tão fácil de acontecer.

Algumas modalidades de força são fundamentais para a prática do tênis, tais como equilíbrio dinâmico, explosividade e estabilidade central e articular (ombro, quadril, tornozelo).

Essas modalidades podem ser realizadas dentro ou fora da sala de musculação, com o uso ou não de pesos. Por isso a palavra força que muitas vezes assusta treinadores, atletas e parentes tem que ser melhor entendida.

Treinamento de força tem como objetivo principal a melhora da performance e a prevenção de desequilíbrio musculares compensatórios. Essa estratégia não põe de nenhuma maneira em risco o crescimento de músculos, ligamentos e tendões.

Na realidade, é um trabalho muito benéfico e que colabora com os seguintes fatores:

  • Otimização da técnica dos golpes (economia de esforço muscular);
  • Aumento da potência dos golpes;
  • Melhora do controle das ações motoras e da coordenação intra e inter muscular;
  • Fortalecimento e tonificação de músculos, tendões e articulações;
  • Aumento da mobilidade articular e grau de movimento;
  • Diminuição do risco de lesão (prevenção);
  • Redução da fadiga muscular em esforço intenso;
  • Simetria Corporal;
  • Correção de desequilíbrio muscular e afecções posturais;
  • Proteção da coluna vertebral.

Entendendo este processo é seguro afirmar que independentemente da idade do atleta, o treinamento de força é realmente necessário para o bom funcionamento e desenvolvimento corporal dos desportistas jovens.

Close
Portal Edu Oncins © Todos os direitos reservados
Close
%d blogueiros gostam disto: