A importância do treino na rede

Podemos observar nos vários jogadores tops hoje em dia, buscarem cada vez mais o jogo de rede para definições.

Alguns alteraram muito o andamento de suas carreiras quando completaram seus jogos buscando mais a rede.

Um dos grandes exemplos foi quando Federer, depois de vencer a todos do fundo de quadra, começou a ser o cara a ser batido. Ele foi durante um tempo, o ponto a ser alcançado do fundo de quadra. Jogava mais em cima da linha e acelerou muito o jogo, até que outros jogadores apareceram e começaram a fazer frente a ele. Surgiram Nadal, Djokovic, entre vários outros. Houve um período de grande baixa em termos de confiança no jogo do Mestre dos Magos, onde jogadores peitavam seu jogo do fundo e Federer começava a espirrar bolas, perdendo para vários jogadores abaixo do seu nível.

Foi quando o sueco ex-número 1 do mundo Stephan Edberg apareceu em sua vida. O sueco trocou a raquete do Mago por um aro um pouco maior e enfatizou as vindas de Roger à rede.

Esse período foi marcado por tenistas jogarem muito igual, com fortes disputas de bolas da linha de base. 

Com essa mudança, Federer voltou as grandes vitórias e começou a usar muito mais a mão que Deus lhe deu, mostrando ao mundo um jogo bem mais diversificado e voleios incríveis.

Teve logo depois a sabedoria de contratar o croata Ljubicic, onde seu backhand e estratégias foram ainda mais aprimoradas. Os espirros cessaram e a confiança apareceu ainda mais junto com a sobrevida que vem demonstrando, tendo fantásticos resultados aos 38 anos de idade.

Podemos mencionar também Rafael Nadal, que apesar do fato de sua característica mais forte ser o jogo de base, vem buscando cada vez mais as definições a rede. Djokovic a mesma coisa.

A lógica é que além de encurtar mais os pontos, acarretando menos desgaste, o jogo fica muito mais eficiente.

Principalmente jogadores que tem excelência no jogo de base, vindo a rede logo após deslocarem seus adversários com ótimos aproachs ou potentes golpes abrindo a quadra, o voleio na prática tem de ser mais fácil e consequentemente conquistam o ponto. Lógico que o adversário poderá eventualmente realizar uma grande passada ou lob, mas na média o que vem a rede vencerá mais vezes.

O que vejo muito em torneios são garotos trocando muita bola de fundo e buscando pouco a rede. Os treinadores e jogadores devem observar que batendo somente do fundo de quadra, com longas trocas de bola, atualmente observamos centenas de jogadores profissionais que lutam por um lugar ao sol jogando muito igual, batendo cabeças e buscando muito pouco a rede. O jovem competidor e seu treinador deveriam buscar o DIFERENCIAL, e não ser mais um ficando desferindo somente golpes potentes do jogo de base. 

Sinto muita falta de jogadores que procurem mais a rede. Os grandes jogadores estão mostrando o caminho a ser percorrido.

Os treinadores devem procurar desenvolver as habilidades junto a rede com a garotada desde pequenos, fazendo com que se familiarizem com os espaços, movimentações e ângulos mais a frente. Trabalhando muito a mão dos jogadores para que tenham facilidade em realizar os voleios.

Na minha opinião o jogo de rede eficiente completando um forte jogo de base, já é atualmente o ponto forte.

Vemos Thiem, Tsitsipas, Khachanov e vários outros jovens destaques buscando esse jogo.

Treinadores e garotada, mãos a obra e desenvolvam muito suas habilidades mais a rede.

Fica a dica.

Close
Portal Edu Oncins © Todos os direitos reservados
Close
%d blogueiros gostam disto: