A capacidade mental de Novak Djokovic

Acredito que todos que assistiram ao jogo deste domingo tiveram uma estranha sensação como se o austríaco Thiem tivesse ganhado a final

Sinceramente, aconteceu comigo, quando no discurso na apresentação final, na entrega de prêmios, me distraí e senti que Thiem havia vencido a partida. 

Djokovic demonstrava uma cara de poucos amigos, talvez porque novamente a maioria do público torceu por Thiem ou por estar pensando e ensaiando mentalmente em como iria falar de alguns acontecimentos trágicos recentes, como os incêndios na Austrália e a morte de Kobe Briant, como comentou posteriormente.

Dominic era pura decepção, pois sabia que havia deixado escapar mais uma oportunidade de vencer um Grand Slam.

Djokovic e Thiem com os troféus no AO

Penso que foi tão espetacular como o austríaco jogou em diversos momentos, comandando o jogo com maestria, dando uma verdadeira aula em muitas ocasiões durante a partida.

Depois de um primeiro set onde Thiem foi buscar de 0/4, jogando espetacularmente, mas com Nole fechando em 6/4, o austríaco jogou 2 sets seguintes perfeitos não dando chances a Djoko. 

Thiem esteve em total controle tático, batendo bolas profundas nas trocas de bola, alternando com winners certeiros dos 2 lados, backhand, forehand e diversas vezes ganhando vários pontos com seus inside outs, uma das jogadas favoritas do austríaco. Também vindo diversas vezes à rede finalizando os pontos com voleios muitas vezes bem difíceis. Demonstrava estar em total controle mentalmente, ditando o ritmo de jogo. 

Dominic Thiem e seu estilo agressivo

Djoko por sua vez esbravejava, sentia a pressão que era imputado por seu oponente, inclusive tomando duas advertências, sendo que na segunda perdeu um primeiro saque. Esbravejou com o juiz na virada, dando inclusive uns tapinhas nos pés dele. Estava ficando louco tentando achar um caminho para reverter a situação.

De repente no 0/4 do terceiro set, Nole jogou um game aparentando displicência, indo para o tudo ou nada. Relaxou completamente e deu a aparência de duas possibilidades: primeira era não estar se sentindo bem querendo acabar logo o game, e a segunda, tentando relaxar completamente se livrando da carga emocional que estava no ar até aquele momento.

O negócio de qualquer jeito deu certo nesse game e Nole venceu seu game de saque de zero. Na virada, pediu assistência médica, tomou comprimidos, e conseguiu criar uma enorme expectativa na cabeça de Thiem, que acompanhava tudo ansiosamente.

Jogou o resto do set em cima da linha interceptando mais cedo os golpes do austríaco, que venceu por 6/3.  Mas o tenista de Belgrado dava sinais de que sabia o que estava fazendo neste terceiro set. Preparando-se para o quarto? 

No término do terceiro set, na virada, Novak saiu da quadra voltando com a camisa trocada e feição decidida. Jogou muito intenso procurando ficar em todos os pontos até que num 3/4, seu adversário sacava para empatar 4/4 no quarto set. 

O austríaco, num game onde claramente demonstrava estar pensativo, acabou perdendo o seu saque numa dupla falta mortal. O jogo dava a volta psicologicamente. O cabeça de chave 2 venceu por 6/3 e seu semblante acendeu novamente. Conseguiu quebrar o austríaco psicologicamente.

Djokovic mostrou toda sua experiência em finais de GS

O fato de Thiem ter chegado em duas finais de Grand Slam, perdendo nas duas ocasiões, somavam-se 2 aspectos: 1 positivo e 1 negativo. O positivo, era o fato de já ter passado por essa experiência de finais de GS e que poderia auxiliá-lo a perceber as possíveis situações de uma final desse porte e talvez fazer diferente. A negativa, o fato de ter perdido nas duas ocasiões e o medo de perder novamente, deixando escapar outra oportunidade.

3ª final de Slam para Thiem

Pesou a negativa, obviamente. O sérvio percebeu esse momento psicológico importantíssimo e fez o que deveria ser feito. Elevou seu nível técnico jogando solto, agressivo, inclusive soltando e acertando novamente seu primeiro saque, que havia sido tão eficiente em rodadas anteriores.

Djokovic encontrou o caminho psicológico e estratégico, quebrou o saque do austríaco logo no início do quinto set e foi implacável fechando 6/4 no seu saque.

17 Grand Slams no currículo de Nole

Novak Djokovic é um tremendo competidor, demonstrou em várias ocasiões que consegue virar jogos praticamente perdidos, várias vezes voltando de match points em quintos sets, como já em duas finais de Majors contra Federer.

Esta final do Australian Open certamente foi uma grande aula psicológica para o austríaco Dominic Thiem que certamente chegará a tão almejada conquista de Grand Slams.

Nole entrou novamente para a história, isolado detentor de 8 títulos de Australian Open. Merecidíssimo título para o gigante sérvio em busca de bater mais recordes adiante.

Quer conferir minha análise completa sobre o Australian Open? Então confira o 1º episódio do novo Podcast Edu Oncins Tennis Cast. Confira:

Close
Portal Edu Oncins © Todos os direitos reservados
Close
%d blogueiros gostam disto: