Djokovic impecável no Masters de Paris

Djokovic teve uma semana perfeita em Paris. Mostrou muita solidez em seus jogos na superfície que mais gosta de jogar, as quadras duras. O sérvio não deu muitas chances aos seus adversários, jogando muito sólido de fundo e mostrando evolução em seu saque principalmente.

A parceria com o agora treinador Goran Ivanišević mostra seus resultados. Goran sempre foi conhecido pelo seu fantástico saque, potente e super colocado. Foi vice em Wimbledon e campeão também. Pude observar a dificuldade de seus adversários em devolver seus serviços, inclusive ficando muito evidente na final contra Shapovalov.

Djokovic deu uma aula de tênis a Tsitsipas nas quartas, despachando o grego em fáceis 6-1 6-2, jogando super sólido, não dando nenhuma chance ao grego. O número #2 do mundo jogou uma emocionante semifinal contra Grigor Dimitrov, onde nas horas importantes soube se impor com autoridade decidindo o jogo.

Djokovic Masters de Paris
©Pauline Ballet/FFT

A final contra Shapovalov foi fácil. O canadense mostrou que vem numa ascendente, mostrando evolução nas trocas de bola, mas ainda acaba cometendo erros imperdoáveis em momentos importantes contra os grandes.

Contra jogadores como Djoko, talvez tenha 1 ou 2 portas abertas para conseguir vantagem. Se essas oportunidades não são aproveitadas contra esses jogadores, as portas se fecham e não voltam mais, como nos 2 break points que Shapovalov teve no segundo set, não aproveitando errando na troca de bolas do fundo de quadra.

Senti que Shapo estava nervoso, sentindo a pressão de estar na final contra Djokovic. Foi uma pena, pois o jogo agressivo que Denis possui, estando mais firme do jogo de base, com menos erros bobos e aproveitando as subidas a rede, poderia ser uma boa formula contra o sérvio. Seu saque é muito potente, mas ainda comete muitas duplas faltas, não por medo, mas por enfiar a mão com vontade, excelente característica que precisa ser mais bem canalizada.

Pude observar também sua evolução na rede, vencendo ótimos pontos com aproachs precisos e ótimos voleios. Denis tem um brilhante futuro pela frente, e estou torcendo que esteja sendo bem orientado. Ainda é bem novo e podemos esperar muito dele ainda.

Djokovic Shapovalov Masters de Paris
©Nicolas Gouhier/FFT

A decepção vai para o alemão Zverev, que ainda demonstra infantilidade em derrotas onde deveriam ser vitórias. Perde ainda muitos jogos para ele mesmo por fatores emocionais negativos e fracos no aspecto mental.

Fiquei triste pela desistência de Rafael Nadal e na torcida que se recupere para o Finals em Londres, onde geralmente não consegue participar pelas mesmas lesões que principalmente acontecem no final do estressante ano do circuito.

Vamos ao Finals em Londres para mais um grande espetáculo do tênis mundial.

Até a próxima.

Close
Portal Edu Oncins © Todos os direitos reservados
Close
%d blogueiros gostam disto: