ATP: 4 jovens jogadores para observar em 2019

O ano de 2018 foi, sem sobra de dúvidas, muito promissor para a nova geração de tenistas que surge no circuito profissional da ATP. Além do surgimento de novos talentos como o grego Stefanos Tsitsipas e o australiano Alex De Minaur, o mundo do tênis viu ainda a consolidação de nomes como o croata Borna Coric, o russo Karen Khachanov e o alemão Alexander Zverev, campeões, respectivamente, do ATP 500 de Halle, do Masters 1000 de Paris e do ATP Finals.

Para mim, este é o início de uma renovação que só deve se intensificar nos próximos anos. Enquanto nomes mais consagrados, como os membros do Big Four (Roger Federer, Rafael Nadal, Novak Djokovic e Andy Murray) e os coadjuvantes de luxos do nível de David Ferrer, Tomas Berdych, Jo-Wilfried Tsonga e Richard Gasquet se aproximam do fim de suas carreiras, os membros da chamada Next Gen vêm ganhando espaço.

Nesse texto, você poderá conhecer quatro jovens tenistas que merecem a sua atenção para 2019. Nota-se que meu objetivo não é exatamente apontar os melhores ou mesmos os que mais vencerão na temporada que se inicia em pouco mais de vinte dias. A ideia é apontar nomes que podem atingir grande evolução ao longo do ano e apresentam considerável qualidade técnica. Vamos a lista:

Félix Auger-Aliassime

Felix Auger-Aliassime v Tallon Griekspoor - Q1
Foto: Divulgação/US Open

Nascido em Montreal no ano de 2000, o canadense Félix Auger-Aliassime é considerado por muitos um dos mais promissores jogadores do circuito profissional. Atualmente presente na 109ª do ranking mundial, ele despontou bem em 2018, alcançando  bons resultados em torneios de alto nível saindo do qualificatório, como no ATP 250 de Chengdu (quartas de final), no Masters de Indian Wells (2ª rodada) e no US Open, competição na qual precisou se retirar do duelo com o compatriota Denis Shapovalov quando o placar marcava 5/7, 7/5 e 1/4 por conta de uma taquicardia.

De perfil atlético, Félix se mostra extremamente ágil em quadra. Com boa altura (1,85) ele consegue também fazer bom uso de seu saque para complicar a vida dos adversários. Isso, combinado com seu estilo agressivo e cheio de ferramentas afiadas, como seu potente forehand e os sagazes drop shots que por vezes utiliza, tornam o tenista de 18 anos um jogador bom de se ver em quadra. Sempre em busca de winners, ele por vezes acumula uma série de erros não-forçados, de modo com que sua precisão precise ser trabalhada nos próximos anos. De qualquer modo, o menino ainda tem um grande potencial a ser explorado.

Thiago Wild

thiago wild meb cup 2019
Foto: João Pires/Fotojump

O paranaense Thiago Wild é outro nome a se observar em 2019. Campeão da chave juvenil do US Open em setembro, ele já está confirmado na chave principal do Rio Open após ficar com  o título da Maria Esther Bueno Cup. Como melhor marca na ATP ele tem a 406ª colocação alcançada em outubro e está atualmente no posto de #530 do mundo.

Entre suas principais características, Wild se destaca pelo estilo agressivo dentro de quadra. Sempre em busca do controle do jogo, ele gosta de arriscar principalmente sua afiada direita. Outro ponto positivo em seu favor é sua personalidade forte, que o faz não se acomodar e buscar a vitória em cada jogada.

Jaume Munar

jaume munar
Foto: Divulgação/ATP Tour

Natural da Ilha de Mallorca, na Espanha, o espanhol Jaume Munar é outro bom jogador para se observar. Jogador de 21 anos, ele está atualmente na 81ª colocação do ranking, mas chegou  a ser 75ª no último mês.

Pupilo de seu compatriota Rafael Nadal, ele se destaca justamente pelas semelhanças com o ‘Rei do Saibro’, incluindo a melhor disponibilidade no piso da terra batida. A preferência, entretanto, não o impediu de ter bons resultados no Next Gen Finals, onde foi quarto colocado.

Em 2018, o destro conhecido por jogar bem no fundo de quadra e ser um ótimo defensor alcançou as oitavas de final nos ATP 250 de Winston-Salem e Gstaad e foi semifinalista no ATP 250 de Kitzbuhel.

Taylor Fritz

taylor fritz.jpg
Foto: Divulgação/ATP Tour

O quarto tenista é o norte-americano Taylor Fritz, atual 49º do mundo. Ele, que chegou a ocupar a 47ª colocação. Aos 21 anos, Fritz já acumula resultados interessantes na elite do tênis mundial, como a semifinal nos ATP 250 de Chengdu e Houston, as quartas de final no ATP 500 da Basileia e a terceira rodada no US Open. Sua melhor campanha no ano foi em Indian Wells, onde fez oitavas de final. Em 2016, ele foi vice-campeão no ATP 250 de Memphis.

Tenista de 1,90m, Taylor usa a estatura a seu favor para impulsionar o seu serviço. Tem com outro bom golpe o forehand disparado próximo as linhas de base e sente dificuldades em jogadas onde precisa utilizar de sua movimentação em quadra. Sua boa qualidade foi apontada por Edu Oncins em uma das edições do Podcast da Revista Tênis.

 

Close
Portal Edu Oncins © Todos os direitos reservados
Close
%d blogueiros gostam disto: