Nutrição para o esporte e no tênis

A nutrição cada vez mais está sendo alvo de atenção para os esportistas, já que pode melhorar a saúde, o bem estar, a performance e até mesmo evitar problemas como lesões e gripes. A má alimentação pode comprometer o rendimento e o desempenho.

A alimentação do atleta é feita de acordo com o peso, idade, gênero, percentual de massa muscular e de massa gorda, modalidade, objetivos e calendário da temporada, variando entre as fases de preparação, de recuperação e de competição.

O plano alimentar ideal é aquele que fornece todos os nutrientes necessários para um perfeito funcionamento do organismo e quando consumidos proporcionam energia necessária para manter as funções vitais, tanto em repouso quanto em atividade física.

O carboidrato é fundamental para a otimização dos estoques iniciais de glicogênio muscular, a manutenção dos níveis de glicose sanguínea durante o exercício e a adequada reposição das reservas de glicogênio na fase de recuperação. Além disso, a ingestão de carboidrato pode atenuar as alterações negativas no sistema imunológico devido ao exercício.

O excesso de gordura pode atrapalhar o desempenho no esporte, embora essas sejam também fontes de calorias para os treinos. Na verdade, o organismo demora mais para usá-las do que os carboidratos, e a digestão desses nutrientes, por se dar de forma lenta, pode reduzir a eficiência muscular. A quantidade recomendada de gorduras é de 25% das calorias diárias. As fontes exclusivas de gorduras são óleos vegetais, margarina e manteiga, além das carnes que também são fontes, contendo teores variados de gorduras, dependendo do corte.

As proteínas são importantes para a formação e recuperação do músculo. As principais fontes desse macronutriente são as carnes, ovos e lácteos, sendo as oleaginosas e os vegetais verdes escuros considerados também fonte proteica.

Os micronutrientes desempenham um papel importante na produção de energia, síntese de hemoglobina, manutenção da massa óssea, função imunológica e protegem os tecidos contra os danos oxidativos. A suplementação vitamínica e de minerais melhora as concentrações bioquímicas desses micronutrientes.

Além da ingestão de nutrientes, deve-se atentar a ingestão de água. A hidratação durante o exercício físico evita a desidratação, a queda de desempenho e fornece energia para os músculos que estão sendo acionados no exercício. A correta hidratação visa à reposição de água e o balanço de eletrólitos (principalmente sódio e potássio).

Referências Bibliográficas Consultadas
MARINS, J. A participação dos carboidratos na hidratação: Uma breve revisão. Revista Mineira de Educação Física. 7 (1): 64-81, 1999. American Dietetic Association, Dietitians of Canada, American College of Sports Medicine. Position of American Dietitic Association, Dietitians of Canada, and American College of Sports Medicine: nutritrion and athletic performance. J Am Diet Assoc. 2001; 100(12):1543-56. Nieman DC, Henson DA, Smith LL, Utter AC, Vinci DM, Davis JM, et al. Cytokine changes after a marathon race. Appl Physiol. 2001; 91(1):109-14. American College of Sports Medicine, American Dietetic Association, Dietitians of Canada. Joint Position Stand: Nutrition & Athletic Performance.Med Sci Sports Exerc 2000;32:2130-45. Van Erp-Baart AM, Saris WHM, Binkhorst RA, Vos JA, Elveres JWH. Nationwide survey on nutritional habits in elite athletes. Part II: Mineral and vitamin intake. Int J Sports Med 1989;10(Suppl 1):11-6.

Larissa Zanom Candido Boza
Especialista em Nutrição  Esportiva e Fitoterápia
CRN 25806 – Celular: (11) 97019-9659

Close
Portal Edu Oncins © Todos os direitos reservados
Close
%d blogueiros gostam disto: