A influência do stress na carreira do tenista

Na última postagem falamos sobre o stress no mundo do tênis. Nesta postagem, iremos falar especificamente sobre o stress na carreira do tenista. Você já deve ter ouvido alguns tenistas dizerem: “A minha cabeça está pirando”, “Não aguento mais treinar”, “Não quero mais viajar para os torneios”.

Diante de tudo o que já se ouviu relacionado ao stress, percebe-se que o overtrainig, o excesso de viagens para os torneios, a busca intensa por resultados e a dificuldade em lidar com as frustrações são fatores que levam o tenista muitas vezes ao abandono da carreira.

O treino é extremamente importante para o tenista que deseja alcançar a alta performance, mas o treino com qualidade é muito melhor do que uma carga intensa de horas de treinamento.

2013 - Highres - Day 9
Foto: Jon Buckle/ AELTC

Neste mesmo sentido, o excesso de viagens e o jet lag (fuso horário) que enfrentam podem colaborar ainda mais para aumentarem a percepção de que esta situação lhe cause sensações desagradáveis e, portanto, possíveis geradoras de stress.

Lidar com as frustrações, principalmente quando a sua expectativa é alta e você não está conseguindo alcançar o resultado que deseja, é outro fator que poderia levá-los ao stress.

No entanto, você agora pode estar se perguntando: o que diferencia para que um tenista alcance a alta performance e outro não? Afinal, todos os tenistas enfrentam as mesmas situações.

A diferença está na característica de personalidade, no perfil psicológico, a forma de como foi “treinado mentalmente”, desde a infância até a juventude, a preparação física e psicológica e vou um pouco mais além, quantos tenistas, poderiam alcançar ainda mais a alta performance e já não deixaram a sua carreira pelo fato de estarem “queimando” mentalmente?

2009 -  selects
Foto: AELTC / Stephen Wake / Professional Sport

Pergunto a você para refletirmos sobre isso: Será que se tivesse sido preparado mentalmente ou no momento em que demonstra os sintomas de stress de forma elevada poderia acontecer de não ter abandonado a sua carreira? Se tivesse sido “ouvido” de outra forma ou soubesse o que fazer naqueles momentos? Já ouvi vários tenistas afirmarem: “Não sabia que isso era overtrainig e que eu poderia ter trabalhado isso”.

Quantos tenistas que poderiam alcançar a alta performance e ainda vamos perder por abandonar a sua carreira por falta de preparação psicológica?

Um forte abraço e até a próxima postagem!

Ms. Luciana B. Meireles – Especialista em Alta Performance – Psicóloga do Esporte e Clínica.

Close
Portal Edu Oncins © Todos os direitos reservados
Close
%d blogueiros gostam disto: