O fenômeno Alcaraz

Nos últimos dois meses, o espanhol Carlos Alcaraz foi nos dando sinais de que um jogador
totalmente fora da curva estava surgindo. Esse garoto de 18 anos, com rosto marcado de espinhas, sorriso largo, ainda meio infantil, assombrava o mundo quando entrava em quadra.

Carlos simplesmente entrava em quadra contra qualquer um, demonstrando em seu
semblante que o medo e respeito pelo tênis do adversário não lhe empunham empecilhos
para que demonstrasse todo seu potencial. A única exceção foi quando enfrentou seu ídolo Rafael Nadal em Indian Wells, onde em alguns momentos pesou a hierarquia de Nadal.

Interpelado pelo meu parceiro de live, Vini Araujo, que antecedeu o Miami Open, quem
venceria o Miami Open? Respondi que seria Carlitos Alcaraz.

Alguns falavam que ele era muito jovem ainda para vencer um Masters 1000. Mas os sinais estavam muito claros para mim. Pude observar que a cada jogo, cada torneio, ele crescia numa velocidade incrível. Crescia na parte técnica, estratégica, conseguindo desferir seus golpes muito mais precisos e
no momento certo.

Falando em momento, como ele faz bem a leitura desses momentos. Momentos de atacar
mais, de mudar o ritmo de jogo, e a hora precisa de desferir seus drop shots, onde nem seu
ídolo Rafa Nadal se atrevia a chegar.

Carlitos é um mega atleta. Sua movimentação é perfeita tanto atacando, quanto contra
atacando. Digo contra-atacando pois em situações que muitos se defenderiam, ele com sua
rápida movimentação consegue muitas vezes voltar com golpes fortes e firmes, forçando seus
adversários a arriscar um pouco mais, muitas vezes os forçando ao erro.

Dotado de uma bazuca de forehand, em varias ocasiões deixa seus adversários em uma troca
de cruzadas falando sozinho, acelerando de tal maneira winners indefensáveis. Com o
forehand faz o que quer, tem todos os tipos de batidas no cardápio, e consegue no meio de
um tiroteio, suavizar a mão e dar um drop shot acariciando a rede.

Trabalha incrível também com seu backhand, consegue entrar cada vez mais na quadra,
pegando na subida, acelerando na cruzada e mudando de direção com perfeição e velocidade
quando necessário. Também tem a santa mão para os drop shots desse lado, escondendo
muito bem armando com as duas mãos como se fosse bater e no último instante mudando
para uma mão e desferindo o drop mortal.

Carlitos tem o dom da observação do exato momento de vir à rede, tanto após o momento de
abrir seu adversário na corrida finalizando na rede voleando, quanto em saques e voleios
usando o incrível kick serve, onde tira seu adversário para fora da quadra primeiro.
Como faz bem a transição do fundo para a rede, impressionante.

Uma observação, seria melhorar o percentual de primeiros saques. Ele consegue se safar
muitas vezes do ataque no seu segundo saque, sacando muito forte e fundo. Melhorando o
seu primeiro saque ficara mais imbatível ainda.

Penso que esse foi so o início de uma carreira longa e brilhante que se mostrará a todos.
Lembrando que agora já se dará início a temporada de saibro, que é seu piso favorito.

Até onde poderá chegar o espanhol Carlos Alcaraz?

Está escrito nas estrelas, mas podem apostar que estrelas muito grandes e brilhantes.

Ate a próxima, abraços.

Close
Portal Edu Oncins © Todos os direitos reservados
Close