Djokovic e Osaka reinam no Australian Open

Novak e Naomi sagraram-se campeões num conturbado Grand Slam

Depois da polêmica quarentena onde foram questionadas declarações de Novak Djokovic, tudo esclarecido, o sérvio seguiu firme no torneio resolvendo cada dificuldade ao seu tempo como um bom gestor das habilidades que Deus lhe deu.

Talvez a maior habilidade do sérvio, em minha opinião, seja a força mental descomunal que ele já provou ter em diversas ocasiões, ganhando jogos incríveis, principalmente em finais de Grand Slams, onde até o momento somam-se 18, atrás somente de Federer e Nadal, ambos com 20.

Desde o início do torneio, Nole enfrentou dificuldades em seus jogos: Venceu Tiafoe em 4 sets. Venceu Fritz em 5 sets. Venceu Raonic e Zverev, ambos em 4 sets. Teve um alívio e muito respeito pela revelação russa Karatsev (que saiu do qualifying até a semifinal em sua 1ª chave de Slam) onde venceu em 3 sets diretos.

Confira também:
+ Acesse o canal Edu Oncins no YouTube e veja dicas exclusivas

Mas, na maioria dos jogos, vi um Djokovic que não estava satisfeito em como as coisas caminhavam, esbravejando muito consigo mesmo e inexplicáveis broncas e olhares para seu box, como que culpando seu team pelos erros cometidos.

Foto: Reprodução Twitter

Na final deste domingo, iniciou o set implacável, num ritmo fortíssimo, abrindo 3/0 contra um Daniil Medvedev meio que perdido. No 3/0 começou a errar algumas bolas, o russo começou a entrar em jogo quebrando o saque de volta e igualando 3/3, dando a impressão que seria um jogo duríssimo. 

O jogo foi tenso com Medvedev jogando bem abaixo dos jogos anteriores, onde com exceção do jogo contra Krajinovic, que venceu no quinto set com um sonoro 6/0, não teve conhecimento de seus adversários, passando como um rolo compressor sem perder sets até a final.

Veja também:
+ TENNIS CAST com Edu Oncins – Australian Open 2021

Sinceramente tinha apostado minhas fichas no russo nessa decisão do Australian Open, pois impressionou demais em suas atuações, mostrando que estava um degrau acima dos outros. Na final do torneio, desequilibrou-se e demonstrou respeito pelo sérvio. Particularmente, esperava muito mais do Daniil na final.

Foto: Reprodução Twitter

Djokovic mostrou porque tem a chance de talvez num futuro próximo ser considerado o melhor de todos os tempos. Penso que o número de vitórias em Grands Slams, entre os BIG 3, vai bater esse martelo. Nole ainda está longe de aposentar-se e tem em seus objetivos e ambições, ser reconhecido como tal. 

Merecidíssimo 18º Grand Slam para Novak Djokovic.

Foto: Reprodução Twitter

A partida que mais chamou minha atenção

O jogo mais incrível do torneio, na minha opinião, foi entre Rafael Nadal e Stefanos Tsitsipas. O jovem grego virou o jogo estando 2 sets abaixo, jogando tudo que sabe num verdadeiro estado de graça. Manteve a serenidade mental e emocional incrivelmente equilibrados, simplesmente deixando fluir até o último ponto todo o seu potencial. Stefanos soube segurar o espanhol nas trocas de fundo e aproveitou as chances, atacando com maestria. Caiu diante do rolo compressor russo Medvedev em 3 sets diretos, jogando um tênis longe do que apresentou contra Rafa Nadal.

Foto: Reprodução Twitter

Triunfo da minha sempre favorita Samurai Osaka

Comentei lá atrás na primeira vez que assisti Naomi Osaka jogando em Indian Wells, que faria história no tênis e se firmaria como uma das melhores. Hoje tem em sua prateleira 4 títulos de Grand Slams, 23 anos e muitos anos pela frente.

Foto: Reprodução Twitter

A cabeça de chave 3 teve seu maior obstáculo contra a maravilhosa jogadora Garbiñe Muguruza (adoro como ela joga). Muguruza tentando voltar às grandes vitórias, teve chance de vencer Osaka com match points, sacando para o jogo no terceiro set. A japonesa estava respeitando claramente a vice-campeã de 2019. Muguruza viu o fantasma da vitória, cometeu seus erros, abriu a porta, com Osaka virando e vencendo num dia muito instável. A japonesa cometeu vários erros não forçados. Mas os grandes campeões vencem, principalmente nos dias difíceis.

Leia também:
+ Os sabotadores que limitam a conquista de objetivos

Em seguida, nas quartas, Samurai Osaka bateu a asiática Hsieh com certa facilidade. Na semi, eliminou Serena Williams (que fez um belo torneio, demonstrando melhor forma, batendo Halep em sets diretos nas oitavas), implacável e jogando um tênis agressivo, fulminou a norte-americana em 2 sets diretos.

Na grande final deste sábado, só deu Osaka. Naomi superou a graciosa revelação americana Jennifer Brady, que possui um tênis bonito de assistir e muito versátil.

Vida longa à nova rainha Samurai Osaka!

Foto: Reprodução Twitter

A organização do torneio soube driblar com sabedoria os problemas e tivemos um excelente Grand Slam.

Abraços e até a próxima!

Close
Portal Edu Oncins © Todos os direitos reservados
Close
%d blogueiros gostam disto: